Como o Senhor nos chama a refletir o Seu caráter enquanto lideramos

Quando pensamos em uma liderança transformadora, deveríamos fixar nossos olhos em nosso Senhor, Jesus. Ele é quem mais tem autoridade para falar sobre liderança, principalmente pela maneira como viveu, guiando Seus discípulos e ensinando-os a viver de acordo com o chamado que receberam do Pai.

10 exemplos da liderança de Jesus que devemos seguir

Aqui estão 10 maneiras como Jesus liderou e transformou as pessoas que andavam com Ele. Elas devem nos ajudar a olhar para dentro de nós e analisar nossa própria liderança e o que fomos chamados para fazer.

1. Jesus investiu nas pessoas

Jesus investiu nas pessoas porque acreditava nelas. Paulo fala sobre isso em 1 Tessalonicenses 2.4: “Fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho” (RA). A palavra “confiar” comunica a verdade de que Deus acredita naqueles a quem confiou o Evangelho. Jesus demonstrou uma confiança incrível no potencial que o Pai havia colocado nas pessoas para que pudesse usá-las para um propósito maior.

2. Jesus enxergou além

A liderança de Jesus ficou evidente em João 17.20 quando Ele disse: “Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles” (NVI). Jesus estava vivendo além daquele momento. Com as pressões que envolvem a liderança de uma igreja local, é possível que nossa visão acabe ficando limitada – e nunca podemos reduzir a vontade de Deus a medidas humanas. Líderes transformadores enxergam além, assim como Jesus. Ao invés de planejar um calendário de dois anos, precisamos considerar qual será o nosso impacto na próxima geração. Jesus orou por milhares de anos no futuro.

3. Jesus enviou pessoas para cumprirem seu chamado

Lucas 9.1-2 e 10.1-2 mostram Jesus enviando Seus seguidores para cumprirem seu chamado. Ele os enviou para tocar os feridos e trabalhar para a colheita. O ambiente ao redor de Jesus envolvia pessoas chegando e partindo.

4. Jesus clamou pelas comunidades por onde passou

Quando se aproximou e viu a cidade, Jesus chorou sobre ela e disse: “Se você compreendesse neste dia, sim, você também, o que traz a paz! Mas agora isso está oculto aos seus olhos”” (Lc. 19.41-42 NVI). Jesus ficou com o coração partido pela natureza rebelde dos habitantes de Jerusalém. Ele chorou por aquela comunidade e nos convida a amar a nossa.

5. Jesus tinha uma vida equilibrada

Com equilíbrio, queremos dizer Seu perfeito investimento em múltiplos ambientes. Jesus sabia o valor do tempo que tinha longe das multidões – diversas vezes, se afastou para poder orar. A Bíblia relata: “Havendo despedido a multidão, Jesus entrou no barco e foi para a região de Magadã” (Mt. 15.39 NVI). Ele sabia valorizar o tempo com as pessoas, mas também Se isolava para descansar e falar com o Pai.

6. Jesus abraçou diversas culturas

Jesus tinha um foco multicultural do Evangelho. Ele não tinha medo ou Se sentia ofendido pelos samaritanos, por exemplo. Desviou do seu percurso, certa vez, para falar com esse povo e não desistiu quando O rejeitaram. O coração de Cristo sempre foi para as pessoas – todas as pessoas. Isso é ilustrado, por exemplo, em Sua conversa com uma mulher no poço (João 4). O Espírito Santo fez com que a igreja nascesse em um ambiente multicultural, com diversas línguas e pessoas. Atos 1.8 nos lembra de que somos comissionados para alcançar todas as culturas e grupos ao redor da terra.

7. Jesus entregou Sua vontade

Jesus entregou Sua vontade ao Pai. Ele orou pouco antes de Sua morte: “Aba, Pai, tudo te é possível. Afasta de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres” (Mc. 14.36 NVI). Um líder transformador está sintonizado com o coração de Deus e está decidido a fazer qualquer coisa que Ele mandar. Jesus abriu mão de Sua vontade humana pelo propósito de Deus – e nós devemos fazer o mesmo.

8. Jesus sempre estava com os perdidos

Todos os publicanos e “pecadores” estavam se reunindo para ouvi-lo” (Lc. 15.1 NVI). Jesus atraia os perdidos. Ele foi bondoso e gentil com uma mulher adúltera (Jo. 8.1-11) e com Zaqueu, o coletor de impostos (Lc. 19.1-10). Oferecendo graça e verdade, Ele atraia os perdidos para serem transformados por Ele. Enquanto trabalhamos para tornar nossas igrejas atraentes, precisamos seguir o grande exemplo do missionário Jesus. O elemento mais precioso de nossas comunidades são pessoas experimentando um relacionamento transformador com Cristo.

9. Jesus era um homem de oração

A oração estava sempre conectada com a missão de Deus na vida de Jesus. Não temos a habilidade para transformar nada sem o poder e a ação de Deus. Jesus explicou que o poder necessário para a colheita só pode ser encontrado em uma vida de diálogo constante com o Pai: “Então disse aos seus discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita” (Mt. 9.37-38 NVI). A fonte para encontrar trabalhadores não está em estratégias de recrutamento, mas na oração. É ela que reconhece a Deus como a fonte de todos os recursos.

10. Jesus sentiu as necessidades do Seu povo

Por que Jesus chorou com a morte de Lázaro (Jo. 11.35)? Não foi para que Marta, Maria ou a multidão vissem, mas simplesmente porque estava triste pela morte de Seu amigo. Jesus foi um homem que amou profundamente as pessoas, Ele sentia a sua dor. Sentia compaixão porque as pessoas estavam “aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor” (Mt. 9.36 NVI). Ele se preocupou com os que tinham fome e estavam com medo, com os fisicamente enfermos e espiritualmente oprimidos. Ele sentiu as necessidades do Seu povo.

Líderes transformadores como Jesus

Jesus veio para servir os feridos (Lc. 4.18) e salvar os perdidos (Lc. 19.10). Nele, conhecemos as maiores ferramentas de uma liderança transformadora que o mundo já viu. E Ele o fez por causa de Seu caráter e de Seu coração pelas pessoas. Como líderes, somos chamados a ser um reflexo do nosso Senhor.

Você sabe como ensinar sobre vocação e chamado? Entenda por que esses conceitos são tão importantes e o que a Palavra fala sobre eles.